Namoro pesadelos

Conheça os pesadelos de morar sozinho e saiba como remediar cada um deles. Evite transtornos e aproveite essa experiência da melhor maneira possível! Confira essas dicas e faça da sua casa um lugar dos sonhos para você e seus visitantes. Acho estranho a maioria das vezes que durmo no meu namorado tenho pesadelos feios com coisa que não gosta de Deus. Fico preocupada quanto a isso se possa ser algo grave ruin. Mais DesabafosDurmo pensando nela, acordo pensando nela.Meu namorado pensa que o traí e diz ter pesadelos por issoQuando tenho o período fico fogosa … Depois daquele dia, aos 14 anos, parei de ter pesadelos imaginando se meu pai, ao arriscar sua vida, voltaria vivo para casa. Pois vi que meu pai é competente, sabe o que faz (mesmo sem material algum, só com as mãos e experiência) e nasceu para isso. Como parar de ter maus sonhos ou pesadelos todas as noites É preciso lembrar que o sono é um dos fatores mais importantes para as suas funções durante todo o dia. Na verdade, falta de sono pode levar a uma série de sintomas, como o sistema imunológico enfraquecido, irritabilidade, falta de memória e concentração, falta de coordenação ... Néia, não se desespere!!! Semana passada eu tive uma vibe muito ruim assim também.. sonhos horriveis com meu namorado, meu namoro em si!!! Certa noite eu acordei e pedi a Deus que eu parasse de ter esses pesadelos, exatamente por eu não estar descansando, n estava tendo paz, acordando muito afobada e tal.. mas enfim, depois que pedi a Deus, eu simplesmente parei de ter esses pesadelos e ... Namoro Namorado Mensagens para o namorado Pesadelos. Baixar imagem. Você me livra de todos os pesadelos que eu tenho durante as noites mais sombrias da minha vida. Quando eu acordo e vejo você ao meu lado, é como se eu nunca tivesse tido um sonho ruim em toda a minha vida. Tudo o que eu sempre quis eu encontrei em você. Pesadelos com namorado traindo Gte estou sonhando muitoo com coisas ruins, tipo que meu namorado está me traindo e que nós terminamos. ... Estou iniciando meu 1 º namoro, Só que nós dois estamos tendo sonhos ruins um com o outro.. na semana passada ele sonhou que eu o trai e essa noite eu [...] 2 respostas . Relacionamento. Rafa é um jovem sevilhano de família rica que conhece uma bela garota vasca durante os dias da Feira de Sevilha. Ele se apaixona completamente por ela, quando ela parte de volta para sua terra natal, ele percebe que terá que viajar até o País Basco para poder conquistar-la. Desse modo, se envolve em uma louca aventura enfrentando o medo do local desconhecido, diferente de tudo aquilo que ... Na trama, pouco tempo depois de terminar um namoro de longa data, Lydia (Caroline Harris, Westworld) decide se mudar para um novo apartamento. Ao mesmo tempo em que se sente cada vez mais isolada, percebe que o dono do imóvel, Drew (Ignacyo Matynia, Marvel – Luke Cage), está sempre por perto. Ela o acha agradável e interessante. No entanto, Lydia não sabe que ele instalou câmeras em ... O significado dos sonhos na psicologia sempre foi objeto de estudo por esta mesma disciplina. O mundo onírico está cheio de mistérios já que, antes de adormecer, é difícil controlar tudo o que a nossa mente tentou bloquear durante todo o dia. É por isso que muitas vezes podemos sonhar com coisas verdadeiramente impensáveis e que nos deixam muitas dúvidas na cabeça.

Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

2020.08.24 15:02 LeastFudge9 Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

Vejo muitos posts de "nunca namorei" por aqui, entendo cada um de vocês e digo que me vejo um pouco nesses posts também. Talvez meu post ajude. Isso aqui vai ser longo.
Sou homem, hétero e tenho quase 25 anos. Até os 22, nunca tinha namorado, nem transado, e entre essa idade e meu primeiro beijo (aos 11 anos de idade), eu havia beijado quatro garotas, uma delas talvez eu não devesse contar, pois foi uma amiga de minha mãe bem mais velha que praticamente me forçou a fazer isso quando eu tinha 14 anos. Mas ok, contemos quatro garotas dos 11 aos 22 anos. Isso me deixava triste nos mesmos moldes que vejo aqui em muitos posts.
No dia do meu aniversário de 22 anos, uma conhecida 16 anos mais velha avançou nas investidas por WhatsApp e me enviou nudes. A partir de então, foi tudo muito rápido, tive minha primeira vez com ela e foi fantástico. Ela estava em um processo de divórcio iniciado havia menos de um mês e tinha um filho de oito anos. Daí começa meu inferno.
Ela era uma mulher muito inteligente, bonita e, para me convencer a iniciar um namoro, praticou o famoso "love bomb", eu me sentia o cara mais foda do mundo, ela inflava minha autoestima de uma forma que ninguém jamais havia feito. Iniciamos um relacionamento sério e entrei no fogo cruzado de uma guerra que envolvia minha então namorada, o filho único dela de oito anos de idade e um ex marido extremamente agressivo e descontrolado.
Cheguei a receber ameaça por WhatsApp do tal ex, o filho dela levava recadinhos velados do pai pra mim, me ligava quando estava com os coleguinhas e me xingava das piores coisas e dos piores nomes possíveis (palavras que uma criança da idade dele não devia saber). Tudo isso enquanto frequentemente o garoto chegava da casa do pai quebrando a casa e gritando, eu acho que isso de esperar o inferno toda vez que ele ia pra casa do pai provavelmente foi o que me fez desenvolver um grau de ansiedade. E como já deve ter sido possível perceber, rapidamente eu ficava mais na casa da minha então namorada que na minha própria casa, por livre espontânea pressão.
Como se não bastasse, minha então namorada era extremamente controladora. Com o tempo, eu não podia mais conversar com outras mulheres, ela gritava comigo e quebrava a casa quando estava - nas palavras dela - "surtada". Pra ajudar a ilustrar, lembro-me que uma vez bocejei enquanto estávamos em um restaurante (EU organizei a ida, foi meu presente de dia dos namorados) e ela começou a brigar, perguntando se eu não queria estar ali (e então passei a ter receio de bocejar perto dela - e eu bocejava bastante, porque trabalhava e fazia faculdade).
Houve também uma situação em que recebi uma proposta profissional que significaria passar quatro meses em outro país. Ela surtou, passei uma noite em claro com ela gritando, quebrando a casa, tentando me expulsar de lá (como eu iria embora com a mulher naquela situação?). Enfim, foi um inferno, nem gosto de lembrar. Acabou que eu neguei a proposta profissional, ao mesmo tempo em que ela saiu falando para meus amigos (que viraram amigos dela também) sobre como ela, apesar de triste com a distância, achava uma oportunidade e um projeto muito importantes. E também encontrou meios de me manipular ao ponto de eu ficar na dúvida sobre por que eu tinha negado a proposta. Recentemente, depois de mais de um ano de terminados, ela disse pra uma prima minha sobre essa história e confessou que "fez de tudo que foi possível" para que eu não fosse. Me senti um idiota.
O cúmulo, na verdade, foi quando minha família alugou um sítio para comemorar o aniversário da minha irmã mais nova, a festa consistia em as pessoas mais chegadas ficarem um fim de semana inteiro neste sítio. Nessa época, minha ex já tinha desenvolvido uma posse sobre mim que incluía ter uma espécie de ciúme do tempo que eu dedicava à minha família (que já era quase zero). Justamente por isso, percebi que minha ex estava resistente a ir para este sítio, optei por fingir que não tinha percebido. No dia de ir pro sítio, como eu já suspeitava, ela estava em surto e passou a manhã inteira deitada. O filho dela estava ansioso pra ir, pois tinha piscina e outras crianças, então resolvi que iríamos eu e ele, disse isso pra minha ex e falei pra ela me ligar assim que quisesse ir, que eu a buscaria. O sítio ficava a uma hora de carro.
Vou resumir o que aconteceu, embora para passar o meu terror eu devesse contar detalhadamente. Basicamente, para fazer-me sentir-me culpado por ter ido sem ela, ela resolveu colocar fogo em umas toalhas (muitas!) no chão do banheiro, a ideia - isso tudo eu só concluí passados meses - era criar uma cena de horroincêndio pra quando eu chegasse. O que ela não calculou é que o álcool evapora rápido, então ela queimou o rosto, parte do cabelo, o pescoço, parte dos seios e da barriga. Ela me ligou em pânico e eu corri de carro tarde da noite em uma estrada deserta. Daí em diante nossos dias foram de hospitais (eu fiquei nos hospitais o tempo todo) e cirurgias plásticas. Ela não ficou com nenhuma sequela física. Depois que a ajudei com as queimaduras (em casa, eu fazia os curativos) e cicatrizes temporárias, terminamos (e no dia seguinte ao término ela bateu o carro e, pela forma como foi, parece ter sido proposital). Mas, enfim, consegui sair desse relacionamento abusivo depois de quase dois anos. Esse textão que escrevi é só uma porcentagem do que passei.
Menos de um mês após esse término, retomei contato com uma amiga (e paixonite platônica) de adolescência, acabou que ficamos e veio outro "love bomb". Caí nessa de novo pra depois de dois meses ela me tratar feito lixo, me dar respostas mal educadas, me ignorar e perder a paciência por coisas banais. Essa noite tive um pesadelo com o desdém dessa última ex (faz nove meses que terminamos) e acordei mal, por isso vim aqui desabafar. Felizmente, esse outro relacionamento não durou mais que quatro meses.
Hoje, olhando pra trás, percebo que caí nessas porque tenho uma carência advinda de um abandono afetivo na infância/adolescência, fruto de situações com meus pais. Ou seja, eu estive buscando suprir com relacionamentos uma carência paternal/maternal, então virei alvo fácil para pessoas complicadas ("love bomb" e visões idealizadas e fantasiosas de relacionamentos me fisgaram fácil). Eu estou bem atualmente e bastante feliz com vários projetos pessoais e profissionais, talvez esteja na melhor fase da minha vida nestes termos. No entanto, estou quebrado para relacionamentos e sei que precisarei de terapia para superar a resistência que adquiri com os traumas que relatei. A conclusão é: procure conhecer a si próprio e reflita bastante sobre porque não estar em relacionamentos lhe afeta, pois você pode estar tentando tapar um buraco que na verdade lhe fará ser presa fácil. Esteja em um relacionamento por ter descoberto alguém que te leve para frente, não somente por estar. Inclusive, não faz sentido estar em um relacionamento apenas porque você quer estar em um relacionamento. Não sei se estou sendo claro.
É isso, obrigado.
submitted by LeastFudge9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.13 17:43 Colccinho03 Passei por um momento difícil.

Passei por um momento difícil.
Então gurizada, preciso de uma ajuda, e melhor ainda se for uma opinião de uma pessoa que já tenha passado por isso ou algo parecido.
Então, sempre fui um cara feliz, sempre brincando com todo mundo, sempre levei a família como base da minha vida e amava eles demais, aquele amor reconfortante, que nos traz alegria, vitalidade e orgulho, e dia 5 de janeiro comecei a namorar, com a pessoa que eu amava a 5 anos e sempre quis estar junto mas por ser muito novo e achar que tinha que aproveitar um pouco mais nos não ficamos juntos, então dia 5 de janeiro desse ano começamos a namorar, me senti o cara mais feliz do mundo, sempre fui um cara que ficava feliz só com o sol entrando na janela e saber que dava pra jogar futebol, sempre sonhei em ser policial e tinha uma perspectiva e um ânimo enorme, só que dia 27 de janeiro briguei com meus pais por causa do meu namoro, e depois fiquei indiferente pra minha namorada, comecei a não ter aquele ânimo de ir ver ela, tipo como se tivesse desgostado sabe? Mas não tinha motivo pra isso porque era tudo perfeito, mas aí comecei a ficar com a visão embaçada, pensamento acelerado, aperto no peito e no braço esquerdo, comecei a chorar e tentava me apaixonar todos os dias, assim que comecei a tomar ansiolítico comecei a ficar melhor, porém depois comecei a perceber que eu estava indiferente pras coisas, não tinha mais nenhuma emoção, meus sonhos não me traziam ânimo nem vontade, sinto que não tô conectado a ninguém da minha família, nada do que eu gostava antes eu tô gostando agora, eu simplesmente tô existindo e sinto uma angústia no coração e perto da clavícula, minha memória tá ruim, tenho pesadelos e não consigo ter medo, só tomo uns sustos, tô vazio e sem nenhuma emoção.
É algo que tá me corroendo, não ter vontade de nada, não sinto prazer, nunca fui assim, já li na internet diversas coisas, e pelo que diz lá, tenho 10000 problemas diferentes, por favor, se alguém puder me ajudar e me aconselhar, por favor!!
submitted by Colccinho03 to brasilivre [link] [comments]


2020.08.06 06:58 keonard A pessoa que eu gosto a anos esta com problemas e eu nao sei oque fazer(longo)

Então eu tenho apenas 17 anos e podem me chamar de keo mesmo Eu prefiro nao falar nomes então vou se referir a ela como L Eu e a L se conhecemos desde os 10 anos de idade(ela é 1 ano mais nova) e desde de quebre conhecemos a gente sempre foi melhores amigos então sempre contamos tudo um pro outro e ela nem sempre teve uma vida fácil e eu nao sei se eu conseguiria no passar pelas situações que eles passou e isso fez eu admirar muito a L e acabei me apaixonando por ela Então a 4 anos atrás eu disse pra ela que eu tava gostando dela mas infelizmente nao era reciproco porem continuamos melhores amigos Mas como um grande sábio um dia disse "Eu amo uma mulher...mas não vou obriga-la a me amar, vou cerca-la com meu amor enquanto...prezo por sua felicidade" Se passou um ano e muitas coisas aconteceram e eu ajudei ela e passamos muito tempo juntos e acabou que ela começou a sentir algo por mim nos começamos a ficar junto Ficamos juntos por uns meses porem ela dizia que nao estava pronta pra um namoro e que seis mta pressão pra els mas por mim tava tudo bem pq eu estava feliz estando com ela...por um tempo La pelo 5 mês que a gente já tava nesse rolo eu acabei querendo algo mais sério e pressionei ela,ela disse que ainda nao se sentia confortável em um namoro e eu acabei desistindo daquilo nos afastamos por um tempo mas nossa amizade era mto forte e voltamos aos sermos melhores amigos...de novo 2 anos se passam e eu vivia uma vida normal de adolescente,saia todo fim de semana,ficava com pessoas em festas,bebias e etc... E ela acabou se envolvendo com um garoto e teve um relacionamento abusivo Nesse começo de ano a gente voltou a se falar com mto mais frenquencia(tínhamos nos afastado no ano passado por nossas vidas estarem indo pra diferentes rumos) e eu acabei indo na casa dela e ela disse que ainda gostava de mim e que ia terminar o namoro de 1 ano e pouco porque ela nao sentia por ele oque sentia por mim e eu beijei ela Desde então a gente voltou a estar juntos porem ela anda muito mal e esta com tendência a falar sobre suicídio e isso me assusta porque pra mim desde a primeira vez que vi ela senti que ela era o amor da minha vida,eu e L criamos plano,traçámos um futuro juntos e agora ela é tudo pra mim e eu nao faço ideia do que fazer se eu perder ela. Ha tempos atrás eu tive um pesadelo onde perdi ela e foi tão horrível o sentimento que acordei passando mal Outra situação foi de que uma Mudrugada dessas ela tinha falado algo sobre estar cansada da vida e sumiu Passei horas tendo crise de ansiedade pensando no que poderia ter acontecido e eu mal sei mais oque fazer nessa situação Mesmo sabendo que ela esta indo em uma psicóloga e tomando remédios nao tô vendo melhora e isso esta me assustando muito.
submitted by keonard to desabafos [link] [comments]


2020.07.06 06:08 Dinossaubrina Sou a babaca por querer terminar meu namoro (ou não)?

Bom, vocês podem estar bem confusos por causa do título, mas a situação é o seguinte: namoro com meu namorado (vou chamar ele de Rodolfo) a 6 meses e no momento ele está internado numa clínica de reabilitação. Antes que o ponto principal da história comece, acho justo dar a vocês um contexto geral sobre o nosso relacionamento, ok?
É uma longa história, mas resumindo, ele fuma maconhss já faz uns 4 anos mas ultimamente ele tinha um comportamento agressivo, então um certo evento (explico daqui a pouco) foi a gota d'água para a família dele, que o colocou lá( ele já está lá fazem 3 meses)
Em geral sempre somos muito carinhosos um com o outro e extremamente preocupados com o bem estar dos dois. Quando brigávamos, sempre conversávamos sobre o assunto com muita calma e carinho. Nunca tivemos problemas muito grandes além de ciúmes e inseguranças da minha parte. Sempre fomos muito abertos sobre tudo da nossa vida antes do outro e como queríamos que fosse o nosso futuro.
Tudo começou com uma dm que eu vi no Messenger dele - no aniversário dele - com um menino, onde estava escrito "apaga as mensagens para a sua namorada não encher o saco". Na conversa eles trocavam ideias, fotos sensuais e muitos elogios. Conversamos sobre o assunto, ele me disse que não tinha a intenção de realmente flertar com ele, apesar de ter revelado alguns fatos sobre o corpo dele e ter mandado algumas fotos dele, isso além dos elogios entre eles, mas no final das contas conversamos como sempre fizemos e acertamos tudo, mas do mesmo jeito é um assunto que causou certo abalo na relação.
Um tempo depois, minha cunhada achou um body escondido no guarda-roupa dele e do irmão, não era de ninguém que conhecíamos e muito menos nosso. Meu cunhado dizia que não era dele, nem meu namorado.. ele ainda me disse que se eu quisesse insistir naquela tecla, apesar dele já ter dito que não era dele nem sequer sabia do body, ele iria a fundo comigo naquela história, mas acabou que por querer evitar brigas entre ele e o irmão, preferi deixar essa história pra la.
Ele foi expulso de casa e veio procurar abrigo na minha quarentena correndo solta de mãos dadas com o coronga e foi quando ele entrou numa briga com meu irmão (que nem sequer mora comigo) e no meio disso tudo sofri uma agressão do meu irmão (quebrei meu quadril e rompi um ligamento, mas até aí tá tudo bem) . O fato de Rodolfinho ter me defendido ao ponto de sair na mão com meu irmão foi o auge para a família dele, que decidiu colocá-lo na clinica mesmo sendo o pior pesadelo dele. Foi um grito de socorro pra eles Mais tarde descobri pela mãe dele que ele estava sendo extremamente agressivo com a família, que quebrava coisas dentro de casa, que ele gritava o tempo todo com eles e ainda mais que talvez eu ainda não saiba. Realmente me parecia uma pessoa completamente diferente do Rodolfo que eu conhecia, aquela pessoa calma e tranquila que resolvia tudo na conversa e no carinho comigo. Dei a minha palavra a ele que eu estaria lá pra ajudá-lo a passar por essa fase difícil que seria a reabilitação, e que não desistiria dele, já que o amo e ele faria o mesmo por mim.
isso tudo foi contexto, agora vamos para a parte real da história, que é o que tenho a duvida se estou sendo babaca em pedir o término, ou não***
Infelizmente ele não se conforma que lá ele não pode fazer o que ele "gosta" que seria fumar, beber, etc. Nisso ele misturou alcool gel com suco, e tomou.. Obviamente que isso gerou uma punição de duas semanas sem contato externo (ligação pra família) e o moço que cuida dele me disse que o fato de eu estar indo lá pra falar com ele, estava sendo uma distração, que ele estava muito acomodado com a situação onde ele se encontrava. Todo esse "evento" me deixou extremamente irritada, pelo fato dele já estar lá a 3 meses, achávamos que ele já teria entendido que ele teria de parar com tudo aquilo sabe?
Todos me dizem que nossa relação não tem futuro, que ele nunca vai mudar, que é uma pessoa problemática e que isso não vai me ajudar em nada. Isso me gera muita dúvida, afinal ouvir isso de basicamente todas as pessoas que você leva a opinião em consideração.. Mexe com a sua cabeça
Meus pensamentos se divide entre "devo terminar por estar pensando sobre o meu futuro e no que será bom pra mim, mesmo que me machuque profundamente e talvez atrapalhe todo o processo de recuperação dele" e "devo ser leal a minha palavra, ajudar ele a se recuperar como prometi e honrar meu sentimento continuando com esse namoro, mesmo escutando tudo isso de todos"
Detalhe, tenho 17 anos e ele 18.. Tínhamos planos de morarmos juntos na metade do ano que vem numa casa do meu avô em Praia Grande, já estava tudo encaminhado, até que a pandemia e a quarentena nos pegou de surpresa além de todo o fato clínica e briga daqui de casa. A mãe dele deixou bem claro que nos ajudaria no que fosse possível, já que na visão dela eu sou uma influência positiva na vida dele e sendo basicamente a única pessoa que ele escuta, eu "manteria ele em controle"
Sempre tivemos um espaço amplo pra podermos conversar, antes mesmo de namoramos, costumávamos sentar e conversar sobre cada passo. Até costumávamos a brincar que mesmo que algum dia ocorra um término, voltaríamos um pro outro de qualquer jeito. Estou muito indecisa e não tenho como conversar com ele devidamente até que ele saia de lá, eu jamais conseguiria ter uma conversa decente com apenas 15minutos de ligação em um dia da semana, que divido com a mãe dele aliás..
Realmente amo muito ele e vejo sim meu futuro ao lado dele, mas com tantas opiniões de pessoas que me importo tanto, me fazem ter dúvidas enormes, não sobre meu sentimento, mas o estado e o rumo da nossa relação
Agora o questionamento é: vou estar sendo babaca por sequer pensar em terminar ou se pedir o término? ou devo continuar o relacionamento e esperar mais 4 meses nessa pilha de pensamentos até podermos sentar e conversar sobre o assunto? .
(porfavor não tentem me dar qualquer visão positiva na questão do meu irmão, já que desejo que ele apodreça no fundo do fogo do inferno)
pequeno detalhe, ele tem duas ligações por semana de 15 minutos, caso eu terminasse com ele agora, seria ou por ligação ou por carta que eu entregaria para a mãe dele e ela levaria lá quando fosse levar itens básicos pra ele e tals
Peço mil desculpas pelo texto enorme e talvez pela falta de nexo, mas não durmo bem já faz algumas semanas graças a essa indecisão, amo vocês e ajuda é bem vinda <3
submitted by Dinossaubrina to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.29 15:07 Oliver_orvalho “A culpa não é minha que comparei opinião genuína com o N4z1sm0,e sim sua que tem que adaptar a sua noção de bom senso” pt.1

Está NÃO é minha primeira vez aqui :3 Olá Luba,turma que está a ver,editores,falecidos papelões e gatas
Antes de começar a história irei falar algumas coisas que julgo que possa ser importante: Eu sou um garoto trans e atualmente eu tenho 14 anos,sou abertamente assumido e a história que eu vou contar é só MEU ponto de vista sobre oque aconteceu. Eu disse que você pode julgar quem foi o babaca nesta história,mas no final acaba que todo mundo foi o babaca. Eu sei que em parte foi minha culpa de todo este drama que aconteceu, mas também tenho noção que a culpa não foi totalmente SÓ minha (fica aberto para discussão) Vamos para a história:
Alguns meses atrás eu conheci um garoto no grupo de jovens da igreja que eu comecei a frequentar,vamos chamá-lo de Carls, ele parecia ser um cara super legal,gentil com senso de humor e carinhoso, e não demorou muito para começarmos a namorar (até o momento ele não sabia que eu era trans,eu não contei para ele pois eu tinha medo dele me rejeitar,está ideia era ainda mais forte por ele ser de uma família religiosa e conservadora,eu sei que errei por não contar para ele logo de cara) No nosso primeiro encontro eu tomei coragem e contei para ele que eu era trans,e ele parecia ter levado de boa...grande engano meu. O tempo foi passando e o nosso namoro parecia um conto de fadas, que mais tarde, se transformou em um dos meus maiores pesadelos. A quarentena mal tinha acabado de começar,eu e o Carls conversávamos todos os dias e todas as horas através do celular, e depois de um tempo finalmente surgiu a nossa primeira briga,que foi bem boba e no final a gente se resolveu, pouco tempo depois,outra briga,e mais outra e mais outra briga novamente. Agora a gente brigava sem parar. Ele vivia me dizendo coisas horríveis como eu ser “grosso”,”seco”,”antipatico” e “ingrato” coisa que eu sabia que eu não era,e sempre que eu perguntava de onde foi que ele tirou isso ele só falava para eu “pensar no que tinha feito”,coisa que me deixava ainda pior já que isso me causava várias crises de ansiedade e sentimento de insuficiência. Uma vez começamos a brigar apenas por termos opniões diferentes sobre PR0N (bem idiota isso eu sei,tenho print desta briga) E num dia qualquer ele chegou para mim no celular e me perguntou oque significava a bandeira que estava no recado do meu perfil (está aqui 🏳‍⚧ ) e como eu sou bem de boa em relação a esta assunto e compreensivo eu expliquei para ele,e eu sempre repetia a explicação quando ele não entendia algo. No dia seguinte ele começou a me pressionar sobre isso dizendo que eu nem tinha “tentado me aceitar como garota” que “eu tenho apenas 14 anos” e outras coisas assim (tenho print disso,mas não sei se vou conseguir colocar no post) e no início eu tava levando de boa e explicando novamente sobre o assunto,só que ele ficou mais agressivo conforme a conversa ia fluindo,e tornava a falar coisas que começaram a me magoar muito,nesta briga eu também acabei magoando o Carls achando que eu estava no direito de revidar os ataques que ele fazia Segue aí com alguns prints das brigas (eles estão aleatórios pq não lembro mais qual veio primeiro e qual veio depois)
as maiores pérolas de Carls
Obrigado por ler a primeira parte deste post,não vai demorar para que eu poste a segunda parte...isso se eu não me arrepender e mudar de ideia,provavelmente o segundo post vai ser mais curtinho mas não tenho certeza se o post vai ser aceito já que ele aborda um “assunto delicado” Bye bye
submitted by Oliver_orvalho to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.11 01:18 movie_freak15 Eu to te dando chifre pq te amo

[TURMA FEIRA] primeira vez q posto aqui
Olá Lubisco, turma, editores, papelões, gatos e seres adicionais Irei compartilhar hj minha desgraça com PRINTS do meu primeiro relacionamento que acabou sendo tbm minha coming out história Eu tinha uma melhor amiga muitoooo próxima e por anos fomos como unha e carne, eu fazia tudo por ela, até mesmo uma denúncia na escola do pai dela quando bateu nela e acabou que já que sua mãe é muito influente na cidade(leia se cidade pequena e mulher podre de rica), a escola cuzona me dedou e deu toda uma merda onde a surtada da mãe dela proibiu que fossemos amigas, me perseguiu, ligava pro meu número, colocou gente me ligando, quebrou coisas minhas que eu tinha deixado na casa dela, invadiu o pátio da escola e correu atrás de mim, um horror. Enfim, pq isso importa? Pq eu fui trouxa o suficiente pra nn me afastar quando foi necessário e sair desse pesadelo, continuamos amigas á la romeu e julieta moderno. Por fim de dezembro do ano passado, ainda sendo amigas escondidas, eu percebi que estava com uns sentimentos estranhos por ela e COMO SEGUNDO ERRO, me declarei e ela disse que sentia o mesmo. Conversamos mt sobre por meses, e em fevereiro pedi ela em namoro. Superei meu medo de sair do armário que nem sabia que tava vivendo KKKKK, foi estranho, mas eu estava me sentindo feliz e confiante. Mas agr vc estão pensando, isso é uma história de chifre!!! Sim, pois é. Namoramos por 4 meses. Foram os 4 meses mais infernais da minha vida, eu vivia pra ela, ela sumia por dias sem dar notícias e eu nn podia demorar pra responder. Minha saúde mental estava um caos. O relacionamento estava abusivo e eu estava presa, todos meus amigos estavam preocupados, então eu só consegui sair quando alguém meteu a real na minha cara sobre as traições dela: Um dia, um menino que eu nem conversava mais (eu costumava ser amiga dele, mas agr ele era amigo muito mais dela) chegou e me perguntou se realmente estavamos namorando (eu nn estranhei TANTO que ela nn contou pq eu ainda estava saindo do armário, e se a mãe dela descobrisse iria começar a me caçar dnv, mas eles eram mt amigos, ela poderia confiar), eu confirmei, e a partir disso segue os prints Prints insta: garoto me contando Prints tt: eu enfrentando a Carls egoísta
https://imgur.com/gallery/ZYYSn69 (são uns 11 acho)
Achava que acabava por ai???? NOOOOO Eu contei pros meus amigos e ela nn tem muitos por si (pode ser pelo comportamento doentio e egoísta), mas uma das nossas amigas em comum é amg dela a 13 anos e minha a 3. Bom, ela ficou tão puta com isso que bloqueoou a Carls em tudo e disse q nn queria mais nada dela. A menina montou um fanfic na cabeça e agr conta que nunca houve namoro e o pior de tudo virou a mãe dela pq agr me persegue. Na última semana ela viu uma mnsg minha para um amigo flnd que minha psicóloga tinha dito pra eu me afastar msm, que ela era egoísta com essas atitudes, bom... O surto em forma de gente achou o contato da minha psico MANDOU MENSAGEM pra ela invadindo meu espaço terapêutico total né e perguntando se era vdd que ela era infantil e imatura, ta foda. Nos últimos dias nn aconteceu nada felizmente e espero que eu tenha paz agr
Bom é isso, espero que essa bola de neve tenha rendido algooo, um beijooooo goxxto mt de ti e sigo a anos, se cuida 💙💙💙
submitted by movie_freak15 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.09 23:35 Gamer2099br A DESTRUIÇÃO DE UM SER HUMANO ATRAVÉS DE TRAUMAS,ABANDONOS E MUITA TRISTEZA (ex lesbica?!?!?!?!) temos prints, qm amou!?!?

(Oi eu sou o amigo que por acaso é o "protagonista" da historia,eu estou postando por elas aq no reddit pq elas n sabem usar kk,e elas escreveram o q eu relatei pra elas,Esse texto foi postado no disc tbm, mas para divulgar a história foi reposta-la aqui tbm, ent divirtam-se com minha tragedia kk)
ola luba, gatas, papelões e turma (e convidado se tiver) somos a juh e a maria, e viemos aq contar a história de um amg nosso sobre o web namoro dele vms voltar para o começo de tudo, ok... como bom gaymer nosso amigo é, ele conheceu ela jgnd minecraft (nn q isso importe na historia, mas taKKKK)
bom o namoro dele estava prosseguindo normalmente, até q a garota que chamaremos de CARLS um dia simplesmente sumiu do nada, n respondia msg, n ficava online, e ficou assim por 5 longos meses. Nesses meses o meu amigo se sentia culpado, ele vivia se perguntando se ele havia feito algo errado e se um dia ela ia voltar... pq ele era realmente muito apegado a ela
qnd ela voltou, logo pediu desculpas e quis voltar, como meu amg (que vamos chamar de farls) era mt apegado nela (e trouxa tbm) ele aceitou voltar e continuar aql relacionamento
Bom o relacionamento durou 1 mês apenas pq um dia a CARLS chamou o FARLS pra cnvrs (leia os prints)
prints
Depois dessa situação toda, o FARLS depois de uma semana voltou para cnvrs e basicamente disse tudo que a CARLS fez com ele, todo o trauma de abandono que ela fez ele desenvolver (que ele tem até hj) todo o medo, noites cheias de pesadelo que ela causou a ele com aquele relacionamento.
Dias depois disso, FARLS percebeu q o q ele tinha feito foi errado, pq msm q sim ela causou muitas coisas ruins pra ele, mas n é certo jogar a "culpa" nos outros, daí FARLS apagou as msgs e desistiu, ele se sentia horrível, ele se sentia um monstro pq ele tinha falado algo ruim pra alguém de propósito com a intenção de machucar, pra ele, o q ele tinha feito era imperdoável.
FARLS ficou nesse fundo do poço por uns 8 meses, ele se odiava muito por ter feito aquilo, que mesmo q agr até parece besteira, isso afetou muito ele.
Então afundado na culpa FARSL decide procurar CARLS para tentar ao menos pedir perdão. ent depois de uma LONGA JORNADA, ele finalmente encontra a conta do insta dela, ele ent a chama, começa logo implorando por perdão pra ela, que n tava entendendo nada, ela ent o interrompe e ela que começa a pedir dsclp pro FARLS, dizendo q ela q errou em ter o deixado e o trocado, daí ela disse q havia pensado nele esse tempo todo, conversa vai conversa vem e eles ACABARAM VOLTANDO (mt trouxa manooo)
O relacionado começou um verdadeiro paraíso, eles faziam tudo juntos,ficavam juntos o tempo todo e eram mt grudes,daí o tempo foi passando... e o relacionamento começou a "secar" pq a CARLS estudava mt,mas MT msm,e deixava FARLS de lado, o q começou a atiçar as crises de abandono dele(que foi quando ele descobriu que tinha), mas ele sempre ignorava os próprios sentimentos,ele se forçava a acreditar q está bem,que o relacionamento estava bem. Daí chegou num ponto que...basicamente FARLS era um passa tempo para a CARLS, e ele sabia disso...Mas ele só qria ver a CARLS feliz e n ligava Se isso o machucava.
Até q na semana do dia dos namorados,CARLS o chamou para conversar e disse que estava confusa em relação ao sentimentos dela por FARLS, ela disse que n era mais a mesma coisa e que estava diferente.. ela ent pediu um tempo(detalhe,era a semana dos namorados) FARLS ficou arrasado mas só deixou ela tirar o tempo dela, e ele ent sofreu a tortura de passar aquele dia dos namorados que ele tinha planejado um monte de coisas...sozinho
A semana passou, e no dia q eles marcaram, ela n apareceu e isso destruiu o coração dele que se sentiu abandonado de novo.
O dia seguinte chegou, e ela o respondeu, e basicamente ela só tinha ido terminar com ela e só... assim quebrando o resto do coração de FARLS q já n tinha quase nada
ent ta kk, essa história ja ta mto grande... foi isso lubinha, espero q tenha gostado <3 (hj em dia nosso amg ja ta bem)
submitted by Gamer2099br to TurmaFeira [link] [comments]


2020.04.15 21:50 jjdanilo # A garota que eu gosto fez algo muito errado, me ajudem

A história é longa, mas é importante para que vocês entendam o contexto geral da situação
Eu estou junto com uma garota há 7 meses, a gente se conheceu em São Paulo e ficou 4 meses juntos por aqui, só que ela estava morando com a tia, acabou tendo uma discussão feia com ela e teve que voltar para Manaus, para a casa dos pais.
A nossa relação é complicada, a gente esta junto, mas não oficializamos um namoro sério, com aliança e tudo, até porque a gente não teve tempo, aconteceu muita coisa em pouco tempo.
Quando ela estava em São Paulo tudo era muito intenso, ela era uma garota muito sexy(e famosinha no Insta), as nossas discussões giravam em torno dos problemas de redes sociais, não eram discussões tão pesadas, acredito que ciúmes que qualquer casal tenha.
Antes de ela ir para Manaus, eu levei ela para o aeroporto, a gente ficou 4 horas conversando antes dela pegar voo, e uma das coisas que eu perguntei para ela é como ia ser dali pra frente. Eu falei pra ela que considerava ela uma namorada já e ela falou que gostava muito de mim e que se ela ficasse em São Paulo iria querer namorar comigo.
Quando ela foi para Manaus, a gente não parou de se falar, só que agora a gente conversava com menos frequência, as ligações tinham cada vez menos assunto, girava basicamente em torno de falar como foi nosso dia, que a gente se amava, sentia falta das coisas que a gente fazia e planos para se ver no futuro.
Eu estava confortável com a situação, era um relacionamento a distância temporário, então eu não podia esperar muito, embora eu sentisse ela cada vez mais distante, mas isso parecia normal para um relacionamento deste tipo. Até que, semana passada...
De uns 6 dias pra cá ela fez duas coisas muito errada. A primeira foi quando eu estava sem sono, aí umas 4 horas da manhã eu vi um status dela no WhatsApp, uma mensagem sem sentido algum para mim:
"É difícil você ter sentimentos por alguém que sabe que você vai se ferrar no final de tudo"
Certamente isso não foi pra mim, eu não ia me ferrar no final de tudo(só se ela me traísse), quando eu li isso, meu sangue esquentou e eu fui questionar com ela o que era isso. Ela apagou o status e disse que não era nada, e falou para eu esquecer, eu insisti, mas ela não quis falar sobre isso.
Eu chorei muito nesse dia, mas eu gosto muito dela para pensar em terminar, a gente teve algo muito bom no inicio e talvez ela tivesse se arrependido. Eu deixei isso de lado, mas não é algo que se esquece do dia pra noite.
Ai a gente voltou a se falar normal, até que aconteceu a segunda coisa, que foi bem pior....
Bom, eu disse que no início do relacionamento, com menos de um mês juntos, a gente teve uma conversa por causa de uma foto que ela tinha no Instagram na cama com outro cara, não era nude, mas era uma foto bastante íntima, eu falei pra ela tirar essa foto se a gente fosse ficar junto. Eu fui perguntei pra ela se ela ainda tinha sentimentos pelo cara e ela respondeu que não e tirou a foto.
Eu tinha acabado de acordar, e vi essa foto no PERFIL DO WHATSAPP DA GAROTA, eu fiquei puto, soltei a língua mesmo, estava muito nervoso, a conversa foi basicamente assim:
ela: bom dia amor
eu: bom o dia o clho, pq vc ta com um lixo desse no perfil. Não acredito que você tem essa foto ainda, achei que tinha deletado pra sempre. Tu ainda fala com esse cara? Pq tu ta usando isso?
ela: oxe, é só uma foto, não to com ele e nem imaginava que voce ia ficar assim
Ai ela foi lá e colocou nossa foto junto de perfil no WhatsApp
eu: você imaginou que eu ficar como
ela: sei la
eu: nem penso em mim
ela: pensei sim, achei que nao ia ter problema
Então eu fui perguntando e ela se esquivando, o negócio é que não deu em nada, eu falei na hora pra ela não fazer mais isso, nunca mais, pra ela deletar aquela foto, nunca mais iria querer ver aquilo na minha vida.
Ela mostrou o símbolo de uma lixeira, pediu desculpas, e a gente tem conversado pouco desde então.
Eu queria saber o que vocês acham, como vcs teriam reagido, é um negócio que não consigo tirar da cabeça e, inclusive, já tive pesadelos com isso, na minha cabeça isso configura como traição, não sei na de vocês.
Vocês acham que eu to sendo mole demais? Duro demais? Trouxa demais? Isso já aconteceu com vocês? É errado eu querer saber quem é esse cara das fotos? Devo insistir mais nas explicações? Devo deixar de lado? Ou devo terminar?
Preciso da ajuda de vocês...
submitted by jjdanilo to desabafos [link] [comments]


2018.05.05 07:59 koyaanisqatsi_guy Me apaixonei por uma colega de trabalho... e mudou minha vida.

O título já diz tudo. Vou contar brevemente essa experiência, pois é algo que eu vou precisar de muita força de vontade para superar.
Isso aconteceu um ano atrás...
Eu trabalho no mercado de comunicação, a rotatividade de pessoas entre empresas é muito grande, em um ano que consegui diversas entrevistas acabei passando por 3 empresas grandes, e na última delas eu conheci essa garota.
Foi por indicação de um amigo que eu fiz entrevista nesse lugar. E ele trabalhava com ela, não diretamente, mas no mesmo setor. Eu demorei um tempo pra notar que ela era diferente, a primeira vista foi só mais uma garota de 28 anos, linda e meio nerd. Porém, eu estava em uma fase de focar apenas no trabalho, pois sempre tive muita dificuldade com o lado social. Desde que me mudei para essa cidade decidi me envolver com qualquer garota que fosse fisicamente atraente, devido as frustrações de amar alguém profundamente, acabei me forçando a ser superficial. Isso foi me afetando aos poucos, até chegar em um ponto que eu simplesmente não via mais razão para isso, foi quando eu me afastei socialmente de tudo e comecei a trabalhar demais, o meu desempenho profissional aumentou, então decidi procurar lugar melhor, melhor salário, que no caso, foi a indicação do meu amigo.
Alguns anos atrás eu estava em uma faze em que projetava sinais e razões em tudo. Algo como me convencer a fazer algo por que música x que lembra pessoa y está tocando no momento em que eu estou no lugar z, então eu devo seguir meu "instinto" de investir naquela pessoa, mesmo se não tiver nenhuma chance.
Voltamos para o mês em que eu entrei na empresa nova, dezembro/16. Em janeiro eu estava almoçando com ela e com o grupo do setor dela, que incluía meu amigo, praticamente todos os dias. No terceiro dia meu amigo confirmou o que já se passava pela minha cabeça.
No almoço acontecia do grupo todo ter um assunto, mas eu e ela outro, não importa aonde estávamos sentados,longe, perto, a conversa era muito interessante pra ficar quieto.
Isso me deixou em completo estado de choque. Ela era simplesmente muito parecida comigo, eu ficava bugado, não sabia o que fazer.
Devido ao stress do trabalho, minha ansiedade tinha aumentado e como medida eu comecei a fazer terapia alguns anos atrás, meu terapeuta foi enfático em me dizer que eu deveria me permitir a amar e a me arriscar. Eu abracei a ideia.
Como um cara timído, nerd, com alto-estima baixa conquista uma garota? Eu não tenho a mínima ideia. Na minha humilde opinião e experiência própria isso é extremamente difícil. Mas não impossível.
Durante o processo da 'conquista' eu estava em um estado de negação a vida, pois eu achava ela atraente e interessante demais para minha pessoa. Passava horas questionando o por que do universo colocar essa pessoa em minha vida, pensando em todas coincidências que aconteceram para eu conhecer ela e de fato me interessar, era algo surreal. Mesmo gosto por música, filmes, nosso assunto preferido era realidade simulada, sério!
Eu decidi que iria ser sincero, deixar claro meu interesse e ver no que dava. Enquanto isso meu amigo e meus novos amigos da empresa comentavam que ela realmente dava sinais de interesse. Nesse ponto eu já estava imaginando coisas. Mas foi frustrante. Ela tinha acabado de sair de um namoro de 7 anos, engatado em uma relação breve de 3 anos e alguns meses antes ela tinha se envolvido com uma pessoa da empresa. Quando eu descobri isso, abri mão. Entrei em um estado de pré-depressão. Eu uso muito metro, ficava parado, esperando o vagão passar pensando em como seria mais facil me jogar ali do que esperar eu conseguir o amor dela.
Isso foi me dominando, essa vontade de querer fazer ela feliz e ver ela ao meu lado me implodia de angustia por não conseguir ver isso se concretizando. Há essa altura eu já sábia que ela não tava fazendo nem um pouco bem para mim, mas eu não estava pensando nisso, estava pensando em fazer ela feliz.
A primeira tentativa foi demonstrar interesse, coisa que fiz até demais. Chamava ela pra sair pro bar toda quinta e sexta feira, não conseguia me conter em ficar feliz com um sorriso de orelha a orelha quando ela aceitava. Era algo maior que o meu auto controle e que a minha força de vontade. Em janeiro foi o mês de colocar as cartas na mesa, eu deixei claro que me interessava por ela e queria sair apenas com ela, então, ela finalmente colocou um ponto final em tudo. Me disse que não queria se envolver com pessoas do trabalho, então contou os relacionamentos dela. Ai tudo fez sentido, finalmente, o medo de falhar que eu tinha, se tornou realidade.
É engraçado, pois foi muito aliviante. Eu finalmente tinha o não dela e com isso podia me conformar com mais um não da vida, me lembrar o por que eu focava no trabalho o por que disso. A frustração me fazia esquecer tudo e me deixava muito produtivo. Eu sempre usei tristeza, raiva e sofrimento ao meu favor.
Começou fevereiro
Nos dias seguintes, o mais absurdo acontece: ela me chama para ir na casa dela. Após o fora, eu imaginava que iria existir um silêncio e que o nosso começo de amizade iria morrer rápido, mas foi o oposto. Amizade era o objetivo dela, talvez uma amizade colorida. Mas definitivamente nada sério. Eu aceitei o convite de ir para casa dela, mas com uma consciência de que eu era apenas amigo. Conhecendo amigos que forçam beijo na balada e fazem esse tipo de coisa escrota, eu nunca iria tentar beijar ela após o fora. Ia ser muito constrangedor se ela não gostasse e isso era o fim do mundo em loop para mim.
Ela deu diversos sinais, mas ao mesmo tempo me contou como sempre teve mais amigos homens do que mulheres, eu achei que tinha lido a situação de uma maneira correta. Nesse dia eu fui o mais tapado possível, fui um amigo mesmo, não tentei nada. Depois disso, quarta feira, na sexta ela estava no bar comigo e com o pessoal do trabalho e convidou para irmos até a casa dela. Eu falei para o meu amigo que tinha interesse nela (não era o amigo do trabalho). Isso foi surreal. Um amigo de um outro ciclo de amigos tinha conhecido ela naquele dia, e ela convidou nós dois para irmos até lá. Eu não entendi nada. Fui sincero com ele, falei que estava muito interessado e que gostaria de tentar algo naquele dia. Ele foi super gente boa e foi embora uma meia hora depois.
Era isso, eu estava sozinho com ela no apartamento dela. Mas na verdade eu estava aprisionado dentro da minha cabeça não me permitindo tentar nada. Então eu não tentei. Nem cheguei perto. Falei tanto que a coitada caiu de sono. Nesse dia eu estava conformado que tinha zerado quaisquer ruídos e chances de relacionamento amoroso com ela.
Eu descobri que ela estava com receio de ficar comigo pelo nível de atenção e interesse que eu demonstrava por ela. Ela estava corretíssima, nós estávamos em sintonias diferentes ainda sim nosso radinho de pilha captava a frequência do outro sem querer. O fatídico dia foi durante um happy hour da empresa, no próprio local onde nós trabalhávamos. O fato de pensar em ver ela me dava ansiedade, então comecei a evitar. Não queria ir até o happy hour por nada, então fiquei na minha mesa trabalhando, naturalmente, quando todos já estavam se alcoolizando e socializando. Eu estaria bem ali a noite inteira, talvez angustiado mas transformando tudo em produtividade, é o que eu sei fazer afinal. Mas meu amigo tramou um plano, chamou a melhor amiga dela no trabalho e quando eu percebi estava sozinho com ela. A reação dela quando eu me aproximei? Foi virar para o outro lado.
Imediatamente voltei para minha mesa, coloquei meu fone e voltei a trabalhar como se nada houvesse acontecido. Ela me liga 3 vezes e comeca a mandar mensagens, pedindo para eu responder, perguntando se eu estava bravo. Eu falei a verdade, que não deveria mais ver ou falar com ela pois estava me atrapalhando e me fazendo mal. Era a hora perfeita para tudo acabar e eu voltar para a minha vida medíocre.
Ela então, as 2 horas da manhã me chama para ir no apartamento dela. Nunca, nem em 100 vidas eu diria não. Eu fui, sentindo que tinha atingido um objetivo superficial, quando na verdade, no meu interior, eu me preocupava com as consequências. Eu não queria encontrar ela bêbada, queria que fosse algo verdadeiro mesmo que fosse uma simples conversa.
Eis que eu fiz a maior besteira da minha vida. Eu preferi ela do que eu mesmo. Eu escolhi por fazer alguém feliz e me fazer infeliz, sem pensar ou medir as consequências. Então eu convenci ela, e a mim mesmo que eu tinha entendido a situação e que nós poderíamos ficar aquele dia e sermos amigos. Acabamos dormindo juntos, foi de fato um dos melhores dias da minha vida, não apenas pelo sexo, mas pela satisfação em fazer alguém que você ama feliz. Comecei a me alimentar daquela sensação. A relação foi cada vez mais tomando uma forma e quando eu percebi, estava ali, moldado, desenhado e exposto: Eu estava vivendo para ela.
Ela me ligava de noite, pedia para eu ir até a casa dela, eu pegava o táxi e ia na hora, não importa o dinheiro, distância, sono, nada, o que importa é fazer essa garota feliz. O problema é que durante o dia, eu sabia que ela não queria nada, então no trabalho eramos apenas colegas na perspectiva dos outros. Eu fui ficando cada vez mais interessado, fui me cedendo cada vez mais, ao chegar no ponto em que eu via que apenas ela definia quando iriamos nos ver. Eu não conseguia chamar ela pra sair e receber um sim, tinha que ser algo quando ela queria. Nessa altura do campeonato eu já estava muito perdido, a consequência da solidão batia na porta mas eu simplesmente ignorava e achava que era uma viagem minha, que tudo iria dar certo e eu iria conquistar ela.
Isso foi criando um vazio dentro de mim, pois eu sabia que ela não tinha terminado o último relacionamento dela de forma amigável, isso começou a afetar ela e consequentemente a mim, que ficava imaginando o que teria acontecido, pois ambos estavam quase morando juntos.
Então, março
O fim veio rápido como o final do feriado de carnaval. Passamos todos os dias juntos transando, conversando, mas aquela bola de neve gigante estava vindo e nós dois sabíamos, o problema é que eu tinha convencido ela que não tinha bola de neve e tava tudo bem. Um dia, ela me chamou para ir na casa dela jantar. Era meio que um big deal, pois nunca havia existido um convite antecipado como esse. Ela tinha arrumado a varanda com luzes e uma mesinha, foi simplesmente uma das coisas mais legais e agradáveis que eu já vivenciei com alguém. Infelizmente a bola de neve engoliu tudo esse dia. Claramente incomodada com a situação, com o que nós estávamos fazendo, ela ficou em um mood estranho e distante de mim. Era a primeira vez que ela fazia aquilo. Eu não entendi e tentei contornar, em um certo ponto eu soube que aquele era o último dia.
Depois disso ela se distanciou de mim, parou de falar comigo frequentemente. Eu achei que era algum tipo de mind game feminino, para eu correr atrás ou algo do tipo. Eu corri atrás e dei de cara em uma parede quilométrica. Não existia mais aquela ponte entre a gente, não existia mais nada a não ser uma tensão de quando vai ser a proxima vez que ela vai me chamar. Os pensamentos suicidas voltaram, eu já não conseguia trabalhar no mesmo local com medo de olhar no olho dela e saborear aquela sensação de que ela não me quer na vida dela, além dos meus pensamentos auto depreciativos de que eu era um bosta e que eu tinha me colocado em uma situação de merda.
A minha ansiedade piorou, tive que me ausentar um mês do trabalho por causa de crises constantes de ansiedade, comecei tratamento psiquiátrico junto com a terapia para segurar a ansiedade, não conseguia sair de casa, não conseguia fazer nada a não ser pensar nesse fracasso. Engordei 17 kg em um período de 9 meses. Eu fazia academia para emagrecer para ela me notar. Tenho 1,78 e estava com 80kg, depois disso, cheguei aos 98kg.
What a ride.
Depis de maio-abril de 2017 eu expliquei para ela que seria melhor se eu me afastasse para sempre. Bloqueei ela em todas minhas redes sociais, toda vez que via ela saia imediatamente do campo de visão dela, pois me dava crise de ansiedade. Evitava todos lugares achando que ela estaria ali. Não existia mais tranquilidade, ela aparecia nos meus sonhos, pesadelos. Eu realmente me perdi. Nunca mais vou conseguir falar com ela, perdi a chance de fazer essa garota incrível feliz. Obviamente a culpa de tudo isso é minha. Não tive maturidade para lidar e deu no que deu.
Atualmente eu lido com isso de uma maneira objetiva, que é: aprendizado. A vontade de morrer sempre vai existir, afinal, eu ainda amo essa garota. Nunca vou superar totalmente essa experiência devido a maneira que aconteceu. Eu me isolei socialmente por quase 12 meses, cheguei a excluir diversos amigos de longa data apenas por que eles namoravam. Apaguei familia de todas redes sociais, tudo me fazia lembrar de como eu era um miserável solitário que tinha falhado na única chance de conquistar a mulher da minha vida.
A única razão que eu estou escrevendo tudo isso, é por que eu preciso tirar isso de dentro de mim. Se eu realmente quero viver e tenho amor a mim mesmo, eu tenho que seguir em frente e ser resistente. Isso foi apenas um aprendizado, dos mais difíceis de toda minha vida. Eu questionava diariamente o por que de tudo isso ter acontecido. Eu nunca mais vou ser o mesmo, essa lição me mostrou muita coisa, uma delas é que eu tenho uma batalha constante com o meu eu interior. Nosso auto controle define quem somos, se você não em auto controle, possivelmente você vai se colocar em situações que podem mudar você e sua vida para sempre, eu espero que de maneira positiva.
Eu ainda tenho muito tempo pela frente para transformar o saldo dessa história em positivo. Mas o que eu queria mesmo era estar com ela.
Saudades de você, n.
TLDR;
Me iludi com uma colega de trabalho que era muito parecida comigo, fingi que estava preparado para uma relação superficial mas me apaixonei e acabei me perdendo dentro de mim mesmo. Entrei em depressão e me isolei socialmente por quase um ano, suicídio era mais aliviante do que pensar em um futuro positivo. A existência era dolorosa e pesada. Hoje eu sei que isso foi um aprendizado, daqueles fudidos que não é para a gente esquecer. Vou levar isso pro resto da vida, espero que com o tempo transforme o resultado em algo positivo.
submitted by koyaanisqatsi_guy to desabafos [link] [comments]


2018.02.10 09:38 reinhardtwilhelm-rj Minha esposa foi diagnosticada com câncer

A gente recebeu a notícia na segunda-feira.
No começo do mês, ela sentiu um caroço no seio e ficou preocupada. Uma das coisas que mais me acalma é me agarrar à estatísticas. Não fiquei falando aquela frase inútil de "tá tudo bem, fica tranquila", mas ressaltei que estatisticamente a chance daquilo ali ser um carcinoma era pequena. Ela foi ao médico, que recomendou uma série de exames. Eventualmente, chegamos à biópsia, que foi realizada na semana passada.
A mastologista dela ligou na segunda dizendo que precisava falar com ela o quanto antes e que havia conseguido um encaixe na agenda à tarde. Minha esposa me avisou por Whatsapp, eu liguei o foda-se e meti o pé do trabalho na mesma hora. Eu fui do Centro à Tijuca com a cabeça a mil. A conclusão mais óbvia é que uma urgência dessas tinha que ser um diagnóstico de câncer, mas eu tentava me dizer que não, que talvez a médica só queira tranquilizar minha esposa.
Quando entramos no consultório, veio o diagnóstico de câncer de mama. Me segurei para não chorar na hora e minha esposa ficou em prantos, despedaçada. A médica pediu uma bateria de exames que estão sendo feitos nesta e na próxima semana, mas ressaltou que provavelmente teremos que fazer a mastectomia em março + quimioterapia ao longo do ano. Os exames dos próximos dias vão confirmar ou não se será esse caminho ou se a doença se espalhou para outras partes do corpo.
Eu sinto que nossa vida ficou de pernas para o ar, sinto que a vida traiu a gente de alguma forma.
Eu passo boa parte dos momentos em que estou sozinho pesquisando sobre taxas de sobrevida de pacientes com câncer de mama, sobre o fato dela ter menos de 40 anos aumentar bastante as chances do câncer ser mais agressivo e/ou ter se espalhado por outras regiões do corpo, fico jogando no Google cada detalhe do exame dela para ver se acho mais informações. E tudo o que eu leio só me deixa mais nervoso.
Eu sei que faz parte da vida aceitar nossa mortalidade, mas a sensação de ver a pessoa mais próxima de você passar por isso e as incertezas nesse período de exames - que vão confirmar ou não se o câncer se espalhou por outras partes do corpo - são devastadoras. Parece que a gente ganhou o pior prêmio possível na loteria genética.
Junto disso, vem uma porrada de coisa. O medo dela de fazer a mastectomia e ter o corpo mutilado, as altas chances de fazer quimio nos próximos meses e os efeitos disso no corpo, a infertilidade decorrente do tratamento, a grana altíssima que é para congelar alguns óvulos dela, as perspectivas profissionais, as incertezas, o medo da morte.
O que até semana passada era uma vida perfeitamente normal e com dificuldades bem pontuais virou um monstro no qual eu não consigo parar de pensar. Eu sei que tudo isso está sendo dez vezes mais barra para a minha esposa do que para mim, mas eu estou bem apavorado e sem saber o que fazer. Eu me sinto sem chão.
De vez em quando eu passo horas ou quase um dia inteiro tranquilo. O câncer vira meio que um pesadelo, uma memória ruim de algum filme, uma informação errada. Vira algo distante. Eu trabalho, faço meus exercícios, ando de bike, corro, vejo uma série, jogo videogame. Mas aí a lembrança do que está acontecendo e o que está em jogo vem e destrói a porra toda. Eu fico trêmulo, sem ar, choro, sinto as extremidades do meu corpo congelarem.
Eu já percebi nesses poucos dias que manter a rotina inalterada ajuda muito, mas ao mesmo tempo me sinto egoísta por estar tentando ativamente não pensar em algo que pode matar a mulher que eu amo nos próximos meses ou anos. Sim, tem uma grande chance de ficar tudo bem depois desse ano mas o "e se" negativo me apavora demais.
A gente se conhece desde a adolescência, estudamos juntos e nos reconectamos quando estávamos terminando nossas faculdade. Já temos oito anos juntos, contanto namoro e casamento, mas nos conhecemos há 15 anos. Eu não consigo me ver com outra pessoa que não seja ela, sinto que ninguém nunca me conheceu tão bem quanto ela. Estávamos planejando um filho para os próximos 2~3 anos e agora cai essa bomba nuclear na nossa vida.
Eu nem sei o que pedir aqui, além desse desabafo. Não sei quantos de vocês viveram isso de perto com suas famílias ou como conseguiram lidar com situações semelhantes. Eu estou completamente sem chão e tentado manter uma vida normal enquanto passo o dia fora acompanhando minha esposa em várias consultas e exames.
É tão irreal quando o câncer não só cai perto de você, mas dentro da sua casa e na pessoa que você mais ama, que é difícil lidar com isso e aceitar a própria realidade.
Ps.: preferi jogar isso com uma alt aqui porque algumas pessoas aqui me conhecem pessoalmente pela conta principal e ainda não contamos isso para todos os nossos amigos e familiares.
EDIT: fiz o post e respondi a alguns comentários enquanto minha esposa dormia, mas agora que ela acordou vai ser difícil ficar de olho aqui. Obrigado mesmo pelo apoio, até a quem eu não consegui responder a tempo. Mais tarde, quando estiver só novamente, passo para tentar responder a todo mundo.
Obrigado e valeu pela energia positiva.
submitted by reinhardtwilhelm-rj to brasil [link] [comments]


Nosso maior medo - Depois das Onze - YouTube Addy Buxexa pede Neide Sofia em Namoro  Jéssica Pitbull ... OS PERIGOS DO WEBNAMORO - YouTube Querida Dani - YouTube JAMAIS NAMORE ANTES DOS 30 !  *descubra o porque* Como lidar com Traição a bordo de navio e namoro a distância  CANAL DO MARCO NAMORO X CASAMENTO Botar Pra Chorar - YouTube ACABEI COM O SAMBA RAÍZ! - CUPHEAD - Parte 2 - YouTube

Conheça alguns dos maiores pesadelos de morar sozinho!

  1. Nosso maior medo - Depois das Onze - YouTube
  2. Addy Buxexa pede Neide Sofia em Namoro Jéssica Pitbull ...
  3. OS PERIGOS DO WEBNAMORO - YouTube
  4. Querida Dani - YouTube
  5. JAMAIS NAMORE ANTES DOS 30 ! *descubra o porque*
  6. Como lidar com Traição a bordo de navio e namoro a distância CANAL DO MARCO
  7. NAMORO X CASAMENTO
  8. Botar Pra Chorar - YouTube
  9. ACABEI COM O SAMBA RAÍZ! - CUPHEAD - Parte 2 - YouTube
  10. DESENHOS ANTIGOS que dão PESADELOS - YouTube

50+ videos Play all Mix - NAMORO X CASAMENTO YouTube; 3 FASES DA TPM - Duration: 6:47. Bia ... QUANDO ELA TEM PESADELOS - Duration: 4:01. Bia Chagas 147,395 views. 4:01. Provided to YouTube by ALTAFONTE NETWORK, S.L. Botar Pra Chorar · Joelma Botar Pra Chorar ℗ 2020 Midas Music Released on: 2020-03-26 Producer: Renato Patriar... meu insta: @orochipedro meu twitter: @TioOrochi Obrigado por assistir Namorar enquanto o homem é JOVEM pode ocasionar em alguns contratempos existenciais que no momento podem ser bons e divertidos, mas com o passar do tempo podem ser verdadeiro pesadelos que ... Gabie Fernandes e Thalita Meneghim falam sobre seus maiores medos e algumas fobias que existem por aí. Confere o vídeo com a gente! O crush da melhor amiga :... canaldomarcoesperarenxergar,Já deixe o seu joinha e se inscreva no canal. Neste video eu falo de como encarar o fato de ter que se separar por causa do trabalho a bordo. como lidar com isso e a ... Ta cada vez mais difícil. 🐤 Twitter: https://twitter.com/alanzoka 📷 Instagram: https://www.instagram.com/alanzoka/ 💜 LIVE: https://www.twitch.tv/alanzoka A gente deve muitos a desenhos antigos. Eles foram os pioneiros que tiveram a audacia de fazer algo diferente de filmes e deu certo. Hoje em dia desenhos dão... - Nos siga no Instagram: https://www.instagram.com/snapdabanda/ - Facebook: https://www.facebook.com/Snap_da_Banda-337444093610923/ Subscreva o nosso canal, ... 𝚂𝚘𝚞 𝙼𝚒𝚜𝚜𝚒𝚘𝚗𝚊́𝚛𝚒𝚊 𝚌𝚛𝚒𝚜𝚝𝚊̃. 𝚃𝚎𝚗𝚑𝚘 𝚞𝚖 𝚝𝚎𝚜𝚝𝚎𝚖𝚞𝚗𝚑𝚘 ...